sábado, 17 de setembro de 2011

O COMPORTAMENTO SOCIALMENTE INADEQUADO ACEITO

Setembro, mês em que a Semana Nacional de Trânsito é comemorada em todo país.
Porém, nada há para comemorar, somente para lamentar.

O número de vítimas fatais,  lesões permanentes decorrentes das colisões crescem a cada ano. Famílias destruídas: crianças que não irão ver mais seus pais, pais que não irão ver mais seus filhos...

Isso nos impulsiona a refletir no que e/ou onde estamos errando ou no que estamos errados!

Será na formação (educação e comportamento)? Será na fiscalização? Na punição? 

Os dados estatísticos nos leva a pensar sobre o trânsito em que vivemos e fazemos parte.

A cada ano o número de infratores crescem assustadoramente. 
Os motoristas não se preocupam com pontuação na CNH, com multas nem por ter a CNH suspensa  ou cassada. Isso não é uma ameaça a eles! 

Leis que não conseguem submeter o desgovernado comportamento socialmente incorreto aceito  e nocivo.

O Trânsito está doente  por conta do mal comportamento social existente. 

Qual será o remédio que podemos usar contra um comportamento social inadequado?

Leis? Educação? Condicionamentos? Punição? Fiscalização?


(quando se fala em multa, suspensão, pontuação o infrator fica despreocupado. Porém, quando se fala em comportamento, ele se estremece, pois, mexe com seu íntimo, com sua personalidade, com sua crenças e valores.)

A sociedade tem que entender  quem ela é nas vias um membro que está  em função  de outros membros criando um corpo, TRÂNSITO. E quando essa função fica deficiente, os efeitos de seus atos  e suas consequências são vistos na desordem social do trânsito e no comportamento inadequado aceito.