quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

TRÂNSITO COLETIVO, SOCIAL OU INDIVIDUAL?



Somos indivíduos e não há dúvidas sobre isso. No entanto, Precisamos da outra parte, do social para interagirmos e isso está relacionado diretamente a sobrevivência. Precisamos dos grupos e dos relacionamentos.   E, isso não significa que precisamos ser apáticos em relação ao próximo.

Durante um mês, fiquei meia hora do dia, nas principais avenidas na região metropolitana do Espirito Santo e de uma semana no Rio de Janeiro, avaliando quantos veículos circulavam somente com o motorista ou com 1 (um) ou mais passageiros.

O resultado foi o esperado e nada surpreendente!

Em cada 100 veículos analisados que circulavam nos pontos investigado, em média,  75 circulavam somente com o motorista; 15 veículos com um carona, 5 veículos com três passageiros  5 veículos com quatro passageiros.

Tá pra se ver que nosso trânsito é individualista.

isso é o resultado da nítida negligência do poder público em não investir em transporte coletivo de qualidade e com valor acessível a todos. 

O trânsito é considerado um meio social  que mais mata e também que resulta em doenças da mais diversa categoria.
Qual é a vantagem do transporte individual?

Pois, além do estresse que provoca, que é o principal ponto negativo do transporte individual, ainda acarreta um caos de proporção imensa e a emissão de poluentes que é surpreendente! 
E se não bastasse, ainda põe o motorista num universo de competições sem fim em vias publica e é claro, o faz ficar  e se sentir sozinho no meio da multidão.

A única vantagem que um veículo particular recebe a favor, EM COMPARAÇÃO ao transporte coletivo no trânsito urbano de HOJE,  é que, o motorista não precisa ficar em pontos de ônibus cheios, debaixo de chuva ou sol e com os sérios atrasos. Então é muito melhor e mais confortável encarar o caos pelo lado de dentro e "confortável" (dentro do carro) do que pelo lado de fora (em coletivo)

Quais as vantagens de um transporte coletivo de qualidade e moderno?

As vantagens de um transporte coletivo de qualidade e moderno, é que muitos deixariam, pelo menos, durante a semana, de usar o carro e assim, desafogaria o trânsito, além de, em um transporte coletivo, os usuário teriam um viagem mais tranquila, lendo um livro, ouvindo música ou quem sabe colocando a conversa em dia e criando um círculos de amizade e socializando, conhecendo pessoas.

Porém, o transporte individual, pelo jeito, será o mais procurado e requisitado. Pois assim, é mais fácil e evita a fadiga do poder público.

Veja mais detalhe nesta reportagem da revista Veja

sábado, 24 de dezembro de 2011

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO NO TRÂNSITO

'Mudando conceitos e termos para um trânsito melhor'

Geralmente, quando ocorre no trânsito uma situação em que gere morte, ou apenas vítimas machucadas, ou até mesmo quando há somente a perda material; dizem que foi um acidente.

Vivemos um trânsito focado em multas, infrações e fiscalização. Porém, a fiscalização é focada em multar e não educar. 

O primeiro passo para uma mudança de atitude no comportamento dos usuários das vias terrestre, é mudando conceitos. Um deles está relacionado a palavra acidente.

Exemplo:
Quando se fala que ocorreu um acidente de trânsito, passa-se uma mensagem que é refletida no comportamento do homem, que é algo em que ele não tem domínio e portanto, nada há de ser feito para evitá-lo.

Dando um sentimento  social de que o acidente de trânsito é uma fatalidade ou uma vontade divina na qual não podemos intevir.

Então, está se tornando natural e normal acontecer um "acidente", e quando assim não suceda, há alguma coisa errada no ar.

Agora, sim, é claro que acidentes acontecem e veja um exemplo de um acidente de trânsito:


*acidente de  manobra ou na manobra; (ao realizar uma manobra, se depara com outro veículo que estava no ponto cego, ou que realiza uma manobra num cruzamento de forma incorreta)

 O segundo passo para mudar essa atitude perigosa no comportamento no trânsito, é mostrar aos usuários que eles são os principais causadores das situações que gera morte, lesões ou perdas no trânsito. É o caso das colisões.

Todos sabemos que numa colisão há envolvido 3 (três) elementais básicos e centrais que são:

*Imprudência, 
*negligência e 
*imperícia e que estão ligados diretamente aos atos inseguros do homem na condução de um veículo.

Exemplos de colisões onde  estes itens estejam envolvidos e relacionados com os atos inseguros do condutor:

IMPRUDÊNCIA
*Alta velocidade e avanço do sinal vermelho,  são atos inseguros e estão relacionado a imprudência do condutor.

NEGLIGÊNCIA
*O veículo que por falta de freios colidiu com outro veículo ou poste. Na verdade ocorreu a negligencia do proprietário. Não existe um acidente por falta de freios,         (a não ser que prove que a falta é problema de fábrica) existe a colisão por falta de revisão ou manutenção do veículo de duas ou mais rodas.

IMPERÍCIA
*O condutor que numa situação de risco, não tem habilidade para contornar a situação.
Pode ser numa simples manobra em baixa velocidade, ou numa curva ou aquaplanagem, onde exija dele uma resposta rápida de suas perícias. (neste caso, está relacionado a imprudência também).

Um terceiro passo a ser mudado, entre outros tantos que iremos relatar aqui em outros post e a denominação de motorista para condutor.

Quando se fala em motorista, entende-se uma pessoa que dirige com desenvoltura,  sem se preocupar com quem e ninguém. 

Mas, quando se diz condutor, já há uma responsabilidade imposta pela palavra de conduzir com respeito, segurança e pelos outros.

A maioria das colisões são causadas por pessoas que carregam o sentimento de motorista em seu comportamento.

Enfim, o comportamento  tem que ser mudadas no trânsito, e essa mudança começa na nossa mente. 

Conceitos e Termos geram sentimentos; que geram comportamentos; que geram resultados.


Mude seu comportamento. Mude suas atitudes em 2012 (2017) e viva feliz.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

GASOLINA COMUM OU ADITIVADA?



Dúvida que ocorre em qualquer um que tenha um veículo automotor.
Na esperança de melhor desempenho ou baixo custo e melhor benefício, alguns, criam até mito.
Veja essa reportagem do site G1:


Colocar combustível aditivado em um carro ‘desacostumado’ é ruim.
Gasolina comum em carro de alta performance desperdiça a potência.




A poucos metros do posto de gasolina, a dúvida: em que bomba eu vou? E é aí que, muitas vezes, a escolha errada pode acarretar em um menor aproveitamento da potência do motor ou mesmo em problemas mecânicos. Isso mesmo. Abastecer subitamente com gasolina aditivada um carro que há anos recebe apenas a comum pode causar o entupimento dos bicos injetores e dos carburadores. 

Na relação custo-benefício, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) afirma que, em grandes centros urbanos, onde é comum a situação “anda e pára”, vale à pena abastecer o carro com gasolina aditivada. Entretanto, as vantagens são reduzidas consideravelmente quando as velocidades médias são altas, como nas viagens em auto-estradas. Neste caso, recomenda-se o uso da gasolina comum.


Já a BR, distribuidora da Petrobras, garante que a gasolina com maior octanagem é mais econômica quando recomendada. Não utilizá-la causa aumento do consumo, redução da potência e possíveis danos ao motor do veículo. 

Por estas e outras, a escolha não é tão simples. No Brasil, existem três tipos de gasolina: a comum, a comum aditivada e a premium. Diferente do que acontece nos Estados Unidos e na Europa, por força de uma lei federal, ela recebe a adição de álcool anidro, cujo percentual, hoje, é de 25%. 

Mas, afinal, um carro acostumado a ‘beber’ gasolina comum, poderá um dia se dar ao luxo de experimentar uma aditivada? Há algum mal em andar com o carro quase na reserva? 





Para responder a estas e outras perguntas, consultamos Izabel Tereza Lacerda Dutra, gerente de Marketing de Produtos da BR, distribuidora da Petrobras. Confira: clique aqui






segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

ATROPELAMENTOS



'Aqui motorista não respeita ninguém!'
É o que disse uma testemunha de um acidente ocorrido no Centro de Vitória ES esta tarde.
Um deficiente físico e idoso, ao tentar aproveitar os segundos que lhe faltavam para o sinal fechar, tenta fazer uma travessia, o que ele não contava era com a 'moto que havia no caminho.'  (Veja vídeo no final)


Em relação aos motorista é bom saber que o pedestre tem a preferência em qualquer situação, por conta de ser mais frágil que o veículo.


Porém, os pedestres também tem que ter a minima noção de segurança, para não constituir perigo ou obstáculo ao trânsito.


A lei é clara e mais clara impossível!  


No Capítulo IV do CTB diz o seguinte ao pedestre:


Art. 69. Para cruzar a pista de rolamento o pedestre tomará precauções de segurança, levando em conta, principalmente, a visibilidade, a distância e a velocidade dos veículos, utilizando sempre as faixas ou passagens a ele destinadas sempre que estas existirem numa distância de até cinqüenta metros dele, observadas as seguintes disposições:

I - onde não houver faixa ou passagem, o cruzamento da via deverá ser feito em sentido perpendicular ao de seu eixo;

II - para atravessar uma passagem sinalizada para pedestres ou delimitada por marcas sobre a pista:

        a) onde houver foco de pedestres, obedecer às indicações das luzes;

        b) onde não houver foco de pedestres, aguardar que o semáforo ou o agente de trânsito interrompa o fluxo de veículos;

III - nas interseções e em suas proximidades, onde não existam faixas de travessia, os pedestres devem atravessar a via na continuação da calçada, observadas as seguintes normas:

       a) não deverão adentrar na pista sem antes se certificar de que podem fazê-lo sem obstruir o trânsito de veículos;

        b) uma vez iniciada a travessia de uma pista, os pedestres não deverão aumentar o seu percurso, demorar-se ou parar sobre ela sem necessidade.


Aos motoristas:


Art. 70. Os pedestres que estiverem atravessando a via sobre as faixas delimitadas para esse fim terão prioridade de passagem, exceto nos locais com sinalização semafórica, onde deverão ser respeitadas as disposições deste Código.

        Parágrafo único. Nos locais em que houver sinalização semafórica de controle de passagem será dada preferência aos pedestres que não tenham concluído a travessia, mesmo em caso de mudança do semáforo liberando a passagem dos veículos.

        
Por conta disso, se o motorista ou motociclista violar a regra de preferência ao pedestre, principalmente sobre a faixa de pedestre poderá ocorre numa infração de trânsito.



Art. 214. Deixar de dar preferência de passagem a pedestre e a veículo não motorizado:
I - que se encontre na faixa a ele destinada;
 II - que não haja concluído a travessia mesmo que ocorra sinal verde para o veículo;
   III - portadores de deficiência física, crianças, idosos e gestantes:

        Infração - gravíssima;
        Penalidade - multa.

     IV - quando houver iniciado a travessia mesmo que não haja sinalização a ele destinada;

        V - que esteja atravessando a via transversal para onde se dirige o veículo:

        Infração - grave;
        Penalidade - multa.



Portanto, para um trânsito seguro, os pedestres terão que antes de atravessar uma via 
 "tomará precauções de segurança, levando em conta, principalmente, a visibilidade, a distância e a velocidade dos veículos,"



E os motoristas tomar todo cuidado tando a devida preferencia e respeito.




Vídeo amador (testemunha dos PS)
video

Foto

Reportagem TV Gazeta ES / Mario  Bonela
video



quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

TABELA DE VALORES DE SERVIÇOS DO DETRAN-ES


Foi divulgado nesta quarta - feira no jornal A GAZETA, jornal local do Estado do Espirito Santo, a seguinte manchete: "Tarifas do Detran ficam mais baratas".

Segundo a reportagem, a partir de fevereiro,  os valores terão uma redução de 10,71% até de 78%.

Olhando assim, é motivo para festejar... Mas vamos aos fatos.

As taxas terão uma redução em 2012 de até 78%. Os exemplo mostrados são os seguinte:
O primeiro emplacamento que hoje é de R$ 204,83 passará a valer R$ 194,28. Ou seja, R$ 10, 55 a menos.

Aos tributos referentes a primeira habilitação, que é o que nos mais importa na questão é de R$ 253,40 que terá o valor reduzidopara R$ 228,06. Uma economia de R$ 25,34.

Já a taxa de renovação que hoje é de R$ 153, 38 ficará por R$ 147,82. Ou seja R$ 5,56 a menos pra gastar.

Onde teve a maior consideração em redução de taxa foi para o registro de transporte escolar que cairá de R$ 1.009,39 para R$ 506,81 (aqui teve uma redução considerável)

Parece até presente de grego né!

Pois, apesar de tal redução, nada considerável e nem aplausível, outras quatros taxas foram criadas e ainda AUMENTOU o valor de outras. Exemplo é o valor da troca da Permissão para Dirigir para a definitiva, que teve um aumento de 28,5%, ou seja, na ponta do lápis passará de R$ 73,91 para R$ 95,03.

Bom, isso sem falar que todo mês de janeiro as taxas sofrem um aumento, tanto das taxas do Órgão Executivo de Trânsito dos Estados-Detrans, como das clínicas e das autoescolas.

Entendendo assim que , esses valores ( supostamente apresentados) estão sendo usados como modelo de referência de como seriam hoje, sem o aumento anual. Sabendo que a redução de 10,71% a78% será aplicada em cima de  valores corrigidos a partir de janeiro.

Segundo o Jornal, essa redução de tarifas, fará que o Estado do Espírito Santo,      seja semelhante a outros Estados do País.           semelhante e não igual.

Por que, se fosse igualar a outros da mesma região em que o Estado se encontra, exemplo do Rio de Janeiro a taxa para primeira habilitação no Rio é de R$ 180,60 e em Minas é de R$ 133,61; já a  tarifa daqui ficará segundo a proposta no valor de *R$ 228,06.

A mudança ou adição de categoria no Detran-ES no valor proposto é de *R$ 162,60 hoje no Detran-RJ é de R$ 90,30. ou seja, uma diferença enorme de valores.    

Obs: A taxa de reteste no Detran-ES é de *63,35 enquanto no Detran-RJ é de 90,81

*(lembrando que os valores estão sendo comparado com as tarifas proposta hoje.)

As taxas de serviços relacionados a clínicas, cfcs, entre outras que não tem ligação direta com a habilitação tiveram um percentual maior de redução.

Lembrando que as tarifas de outros estados da região sudeste são até mais baratas que a do RJ como é o caso do Detran-MG

Taxas de serviços do Detran-ES

Taxas de serviços do Detran-RJ 

Taxas de serviços do Detran-MG

Taxas de serviços do Detran-SP

Portanto, mesmo com toda redução, os valores cobrados pelo Detran-ES são superiores aos Estados vizinhos de região.

Porém, são semelhantes  a de outros Estados do país.

Este post foi sugerido  por  leitores do blog

sábado, 10 de dezembro de 2011

MOTOCICLETA 2011





A menos de 48h para o final de 2011 e nada há para comemorar em se falando de trânsito. 

O ano não foi nada bom e nem agradável se o assunto for relacionado a trânsito, principalmente a motociclistas mortos e feridos.
Lembro-me que, em 13 de fevereiro de 2011, postei uma nota parabenizando o jornal ATRIBUNA do Estado do ES sobre realizar uma contagem, notificar os casos relacionados a motocicletas. Até então eram 14 motociclista mortos no Estado do Espírito Santo.

Hoje, 10 meses depois dos 14 contabilizado, chegamos a um índice assustador, são mais de 190 mortos no local do acidente.

Segundo uma reportagem da CBN -Vitória o SAMU-ES contabilizou de janeiro a novembro  mais de 6 mil acidentes com moto em 2011. Segundo o médico do SAMU "O acidente de moto tem uma peculiaridade. A partir de 35 km por hora o mecanismo do trauma já pode causar lesões importantes, inclusive fatais".

Entre  esses que morrem ou ficam feridos e/ou com lesões permanentes são jovens com a idade entre 20 a 29 anos e segundo o jornal diário da Amazônia a estimativa é que nos últimos 10 anos morreram 65 mil motociclista em todo Brasil e a maioria homens de baixa renda.

Não diferente do Estado do Espírito Santo, em Rondônia, 90% dos atendimentos em casos de acidentes de trânsito estão direcionado a atender motociclista.
Em Rondônia foram 224 mortos em 52 municípios, perdendo apenas para mortes ocasionadas por armas de fogo.

Segundo o jornal O DIÁRIO o problema não é isolado. Em todo país acontecem o mesmo Entre as capitais, São Paulo ocupa apenas o 13.º lugar no ranking da mortalidade envolvendo motociclistas. O Rio fica em 15.º. A campeã, com uma taxa três vezes maior, é Boa Vista (RR), seguida de perto por Palmas (TO).

Sabendo que a maioria das causas de colisões e acidentes relacionado a motocicletas estão relacionados com a imprudência e desrespeito as leis e normas. 

Ou seja, é comportamental e cultural. Vivemos em um país onde é comum não respeitar as leis, o próximo e a vida. É incomum e vira até reportagem o contrário.

Links relacionados:


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

COM QUE CALÇADO DIRIGIR?


No trânsito muitas são as regras e normas contidas no CTB. 

Por conta disso, motoristas, motociclistas e até mesmo pedestres ficam com dúvida sobre o que fazer numa via pública.

Muitas são as dúvidas sobre o que  pode ou não pode fazer, dirigir com tal ou tal tipo de calçado.


O importante é saber que segundo o Código de Trânsito Brasileiro - CTB no Art. 252 dirigir veículo:
 IV - usando calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais;

Enfim, o regra é não pode usar calçado que não se firme nos pés OU que comprometa a utilização dos pedais. Sendo assim, ele pode até se firmar aos pés , mas se comprometer a utilização colocando em risco a segurança caracteriza infração de trânsito.

Andar em desacordo com essa regra é infração média, 3 pontos negativos na CNH e 85,13 de multa.

Dirigir descalço pode?



Pode. 
Dirigir descalço não infringe a lei de acordo com o CTB.

Não há nenhum menção em dirigir descalço.


Portanto fique atento e não dê bobeira!



video

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

RECICLANDO...


Suspensão da habilitação é o que causa a obrigatoriedade no Curso de Reciclagem para Condutores Infratores.

Porém, o que causa a suspensão da habilitação?


Art 261º – A penalidade de suspensão do direito de dirigir será aplicada, nos casos previstos neste Código, pelo prazo mínimo de um mês até o máximo de um ano e, no caso de reincidência no período de doze meses até o máximo de dois anos, segundo critérios estabelecidos pelo CONTRAN. (Resolução 54/98 do CONTRAN)
§ 1º - Além dos casos previstos em outros artigos deste Código e excetuados aqueles especificados no art 263, a suspensão do direito de dirigir será aplicada sempre que o infrator atingir a contagem de vinte pontos, prevista no artigo 259:
        I - gravíssima - sete pontos;
        II - grave - cinco pontos;
        III - média - quatro pontos;
        IV - leve - três pontos.

Além da suspensão por  pontuação, existe o caso em que a habilitação tem a suspensão especifica, como no caso de beber e dirigir, pilotar sem capacete, com viseira levantada, com farol da moto apagado, transportando crianças menor de 7 anos, fazer racha, disputar corrida, entre outras.
Click no link e veja detalhes.   link 
Veja mais aqui

domingo, 4 de dezembro de 2011

NORMAS SÃO COMPORTAMENTOS REGULAMENTADOS


CAPÍTULO III
DAS NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA

        Art. 26. Os usuários das vias terrestres devem:

        I - abster-se de todo ato que possa constituir perigo ou obstáculo para o trânsito de veículos, de pessoas ou de animais, ou ainda causar danos a propriedades públicas ou privadas;
        II - abster-se de obstruir o trânsito ou torná-lo perigoso, atirando, depositando ou abandonando na via objetos ou substâncias, ou nela criando qualquer outro obstáculo.

Assim, inicia o texto do CTB sobre as Normas Gerais de Circulação e Conduta.

As Normas são comportamentos Regulamentados!

Veja bem o que acontece quando um condutor for realizar uma *manobra lateral.

*Entende-se por descolamento lateral a transposição de faixas, movimentos de conversão à direita, à esquerda e retornos.

Não é somente acionando a seta indicativa de direção que o condutor estará garantido o direito de realizar a manobra de transprosição de faixa, entrar à direita, à esquerda ou realizar retornos; o condutor terá que:






Art. 35. Antes de iniciar qualquer manobra que implique um *deslocamento lateral, o condutor deverá indicar seu propósito de forma clara e com a devida antecedência, por meio da luz indicadora de direção de seu veículo, ou fazendo gesto convencional de braço.



Ou seja,  o condutor terá que realizar todo procedimento comportamental regulamentado de segurança para realizar essa manobra para não constituir perigo ou obstáculo ao trânsito.





Além desta procedimento básico de segurança ele terá que:




Parágrafo único. Durante a manobra de mudança de direção, o condutor deverá ceder passagem aos pedestres e ciclistas, aos veículos que transitem em sentido contrário pela pista da via da qual vai sair, respeitadas as normas de preferência de passagem.


Normas de Circulação e Conduta são comportamentos que todo usuário das vias terrestres deverão adotar.


Seja este usuário, pedestre, ciclistas, motociclistas e motoristas.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

COMPORTAMENTO SEGURO NO TRÂNSITO



Todos temos conselhos a dar sobre experiências na vida ou de vida.
Podemos aconselhar a qualquer um a respeito de amizades, drogas, educação trabalho, casamento e até mesmo sobre trânsito; as vezes aconselhamos sobre até mesmo o que a gente não entende e nem faz ideia, porém, sempre estamos lá com aquela palavra amiga, com a voz da experiência.

Trocando alhos por bugalhos...
...desde cedo aprendi sobre o que é Autoridade. Isso mesmo Autoridade com A maiúsculo!
Quando, li que Jesus de Nazaré, ensinava, não como os Escribas, porém, ensinava como quem tinha autoridade, fiquei encucado com isso, pois os escribas eram a autoridade em relação a lei, ensinamentos e modelo de comportamento.

Entendi que Autoridade está relacionado a ter domínio do que se diz, ter pleno conhecimento do que se diz e o mais importante, é exemplo no que diz. 

Palavras vazias não geram efeitos práticos. 
Há pessoas investidas de autoridade que não sabem o que dizem, nem como dizem e nem são exemplos no que dizem. Consequência disso? não há efeito, não há ação e palavras sem ação são palavras mortas e sem vida.

Seus conselhos são investidos de Autoridade ou apenas de autoridade?


Como Anda seu comportamento no trânsito? Na vida? No trabalho? Em casa?


Para  exigir  mudanças, temos que mudar.



DIRIGIR X ÁLCOOL

Segundo a enquete realizada pelo blog do professor Alexandre Basileis quase 66 % das pessoas votaram que beber e dirigir aumenta o índice de acidentes de trânsito.

Um dos que responderam a enquete, Marcos Antonio Machado, leitor do blog, comentou que: Quem bebe jamais pode dirigir, e quem o faz deve perder a a habilitação definitivamente, pois geralmente os prejudicados são pessoas inocentes que pagam na maioria das vezes com a vida, quem comete tal ato deve ser tratado como um criminoso comum."

Esse quase 66% não se enganaram, o índice de acidentes envolvendo pessoas que estão embriagadas aumenta a cada dia.

O que ocorre entretanto, é a sensação de impunidade que ocorre nos casos de acidentes fatais, onde geralmente quem sai perdendo e sofre é a família da vítima. 

A nossa cultura, infelizmente cria um ambiente propício a  impunidade, ao desrespeito as leis e a falta de cidadania.

Vivemos numa sociedade individualista, manchada pela espírito de "he-man" (eu tenho a força!) "poder".

Nessa cultura individualista, que está incrustada no comportamento do homem, ao acessar um veículo ele pensa que o trânsito foi feito só pra ele, que as vias é dele, que ele não precisa compartilhar espaços. Deveres e direitos pra ele não existem. 

Na verdade o homem, por conta dessa cultura, imagina que está em constante guerra por espaço no trânsito, ele não vê o outro motorista como um ser humano que está apenas querendo chegar em algum lugar, ele vê um opositor, um inimigo que quer tomar seu espaço.

A bebida é somente mais uma faísca desse turbilhão de gravetos comportamentais que põe o trânsito sujeito como um lugar totalmente intragável.

Veja resultado da enquete abaixo.


SIM
http://www.enquetes.com.br/img/pixel.gif
http://www.enquetes.com.br/img/pixel.gif
65,63%
NÃO
http://www.enquetes.com.br/img/pixel.gif
http://www.enquetes.com.br/img/pixel.gif
28,13%
DEPENDE DA QUANTIDADE
http://www.enquetes.com.br/img/pixel.gif
http://www.enquetes.com.br/img/pixel.gif
6,25% 


Portanto, não é a bebida o fator vilão e sim o comportamento.