quinta-feira, 25 de julho de 2013

DIA DO MOTORISTA



25 de julho é o Dia de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas. É uma data especial para  prestar homenagem aos profissionais do volante, o Motorista. 

História:
Comemora-se o Dia do Motorista em 25 de julho porque também é Dia de São Cristóvão, o padroeiro desse profissional. "Cristóvão" significa "aquele que carrega Cristo". Ele era um gigante que queria servir ao mais poderoso de todos os homens. À princípio, serviu a Satanás, mas quando soube que o mais poderoso era Jesus, converteu-se e foi viver na margem de um rio. Lá, carregava pessoas de uma margem a outra. Certa vez, foi carregar um menino e como a criança ficava cada vez mais pesada, ele disse que parecia que carregava o mundo nas costas. O menino, então, falou: "Não carregas o mundo, e sim seu criador. Sou Jesus, aquele a quem serves". Como o trabalho de Cristóvão era transportar os viajantes através dos rios, tornou-se padroeiro dos viajantes. Em épocas mais recentes, encontrou uma nova popularidade como padroeiro dos motoristas.

Seja o chofer particular, quase membro da família à qual presta serviços; homem de confiança que ouve tantas confidências, que se dedica de corpo e alma àqueles que o acolheram, dirigindo seus carros, suportando as ranzinzices dos mais velhos e as inconveniências dos mais jovens, babá e guarda-costas, sem hora certa para dormir, mas sempre com hora marcada para acordar. 

Sejam os motoristas de táxi e de ônibus, que vivem tensos ante a possibilidade de assaltos; que enfrentam, no seu dia-a-dia, as barbeiragens daqueles que dirigem sem cuidado e tornam o trânsito cada vez mais louco; que suportam os ruídos das ruas e a irritação de passageiros nervosos; motoristas que, tão expostos às neuroses, têm que manter a calma e a serenidade. 

Seja o caminhoneiro, herói de tantas jornadas pelas estradas cheias de surpresas e perigos, que escreve sobre o asfalto a história do nosso progresso; motorista das longas vigílias, que passa dias e dias distante da família, que enfrenta sol e chuva, estradas boas e más, à mercê dos defeitos mecânicos e exposto à imprudência de alguns irresponsáveis que eventualmente dirigem pelos mesmos caminhos. 

Seja qual for o motorista, desejamos homenageá-lo e vai para ele o nosso abraço. 

Desejamos que as ruas e estradas sejam boas, que as máquinas funcionem a contento, que o seu trabalho seja rendoso, que seus familiares tenham sempre um carinhoso sorriso para recebê-lo em seu retorno, e que haja sempre um irmão da estrada para socorrê-lo em caso de dificuldade. 

Que São Cristóvão, seu padroeiro, o abençoe e proteja, e que o seu trabalho seja sempre reconhecido e admirado, no carro bonito da família rica, no táxi que gira pela cidade agitada, no ônibus que vai e volta num repetido trajeto ou no caminhão que atravessa o Brasil por nossas longas estradas. E que todos os motoristas encontrem no seu trabalho, ao lado do sustento da família, do seu progresso, a sua realização profissional.

Nossa homenagem a todos os motoristas profissionais, amadores e iniciantes.

Uma data a ser comemorada pelo milhares motoristas existentes que são exemplos de conduta pelo Brasil.

Fonte:
Uma mensagem do Site:

quarta-feira, 3 de julho de 2013

GESTÃO DE CONDUTA

GERIR SUA VELOCIDADE.


Quando estamos dirigindo, estamos no controle da situação ou pelo menos é o que se espera de um motorista. 

Segundo o artigo 28 do Código de Trânsito Brasileiro -CTB o "Condutor deverá, a todo momento, ter domínio de seu veículo, dirigindo-o com atenção e cuidados indispensáveis á segurança do trânsito."

Isso é gestão de condução. É gerir sua conduta. É administrar seu comportamento no trânsito.

Toda essa GESTÃO DE CONDUTA é para preservação da vida e saúde. É uma melhora de comportamento em favor da coletividade. 

Administrar sua conduta na direção do veículo automotor evita acidentes, danos, colisões, atropelamentos e mortes. 

Não é admissível que o homem moderno viva  sem o domínio da razão e das emoções. Que mova-se como um ser sem um minimo de raciocínio lógico e controle de sua vida. 

Somos treinados a controlar tanta tecnologia; a se adaptar as novidades e mudanças; somos habituados a vivermos em meio as adversidades; acostumados a vivenciar a tantas tragédias  e perdas no trânsito mas, não conseguimos mudar um centímetro da nossa conduta imprudente.

Controlamos tudo que possamos dominar e não conseguimos dominar o que acostumamos  controlar.

Segundo estatísticas, a velocidade é fator principal nas ocorrências de colisões e/ou acidentes com vítimas fatais. Sabedores disso, pois não está oculto a ninguém, temos que administrar nossa velocidade nas vias públicas para uma melhora de vida.

Somos seres inteligentes, não somos animais que vivem por instinto, apesar de que muitos parecem assim viver. 

Na condução do veículo automotor temos a possibilidade de administrar 3 (três) tipos de velocidade para uma gestão de condução ativa e possitiva.

1 - Velocidade Excessiva = é a velocidade acima do limite de velocidade recomendada.

Exemplo 1:
Se a velocidade é 60km, preciso entender que essa norma limitando e regulamentando a velocidade é para uma administração de controle em situação de emergência  É sinal que na via há situações de risco imediatos e mediatos e preciso estar controlando-a não excedendo a máxima.

2 - Velocidade Inadequada = é uma velocidade rápida demais para as condições, mas dentro do limite de velocidade.

Exemplo 2:
A velocidade da via é de 80km/h,  e trafego a 70km/h porém, há riscos concretos na via. Exemplos de excesso de motocicletas, pedestres, veículos de grande porte, buracos, chuva, curvas, etc. e mantenho a velocidade sem levar em consideração as condições de risco imediato que se mostram na via.

3 - Excesso de Velocidade =  inclui a velocidade excessiva e inadequada.

Exemplo 3:
Trafego numa rodovia, cuja velocidade é de 80km/h e entro num perímetro urbano e mantenho uma velocidade alta, ainda que não seja acima da máxima, mas para as circunstancias são de alto risco.

Por conta disso há a necessidade de controle e gestão de sua velocidade e conduta.

Todo usuário das vias terrestres tem o dever de abster-se de todo ato que possa constituir perigo ou obstáculo para o trânsito de veículos, pessoas e animais, ou ainda de causar danos a propriedades públicas ou privadas e abster-se de obstruir o trânsito ou torná-lo perigoso. (Artigo 26 do CTB)

Veja post sobre GESTÃO DE VELOCIDADE clicando aqui

O LOOP DO HÁBITO DA APRENDIZAGEM NA PRIMEIRA HABILITAÇÃO

Dirigir é uma hábito (condicionamento repetitivo) e não há controversas. O hábito se concentra e prevalece pela rotina, repetição...