sábado, 27 de agosto de 2011

LEI X COMPORTAMENTO X LEI


Segundo projeto de lei que foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania - CCJC da Câmara dos Deputados, transportar bebida alcoólica fora do porta mala, é uma infração gravíssima (7 pontos na CNH) com penalidade de R$ 191,44. O projeto para entrar em vigor terá que passar pela análise no Senado.

No Brasil, acontece o seguinte pensamento:
Criar leis que impeça uma procedimento "criminoso", no caso de trânsito, um mau comportamento.

Querem frear um comportamento incorreto, transformando-o em infração, que gerará receita. (dinheiro) 

Já imaginaram se desde 1998, ano e que o Código de Trânsito entrou em vigor, o Art. 74 fosse aplicado.

Vejamos:
"Art. 74. A educação para o trânsito é direito de todos e constitui dever prioritário para os componentes do Sistema Nacional de Trânsito."

Se esse Art. fosse aplicado de forma consistente, Como seria o trânsito hoje?
Será que seria necessário a criação de outras leis?

Lei muda comportamento? 

Para mudar um comportamento é necessário educação. Porém, educação apenas não resolve, há a necessidade de um estímulo que o mude.

A violência no trânsito é notória a todos. Não está oculta em lugar algum.
Nem por isso o comportamento  diante dos fatos é alterado.

O que você acha?

Dê sua opinião. 
Novas leis são necessário para mudar comportamento?
  

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

COMUNICAÇÃO NO TRÂNSITO



É comum ao ser vivo a comunicação. Comunicamos aos nossos semelhantes nossos desejos e sentimentos através de palavras, gestos, olhares e até mesmo com um suspiro podemos dizer e comunicar algo que queremos que o outro entenda como estamos nos sentindo. É natural a comunicação entre seres vivos, principalmente entre os homens que tem uma gama enorme de meios e símbolos para que tal comunicação aconteça, para se relacionar e demostrar sentimentos. A comunicação faz parte da vida social.

Os animais comunicam-se por gemidos, ruídos, latidos, mugidos, gestos e até mesmo olhares. Um cão sem precisar dar um latido, por gestos e olhares já indica que não gostou do outro cão ou de uma pessoa.

Nós seres humanos e não animais, além de gestos que podem ser dados por instintos, sem nossa percepção aparente, podemos expressar-nos através de palavras bem inteligíveis e racionalmente nossos sentimentos, desejos e emoções. Podemos conversar com Deus, com animais, com plantas e nos sentirmos correspondidos    (os chamados desabafos) sem que tenhamos uma resposta.

Em nossa vida social precisamos de comunicação:
Comunicar com nosso chefe, com nossos subordinados, com amigos, colegas de trabalho e profissão, enfim, precisamos nos comunicar o dia todo e a todo  momento. 

Já imaginou você no Trânsito?
Já imaginou como é a comunicação no trânsito?
Que sinais usaria no trânsito para comunicar uma mensagem?
Como eu diria ao condutor que estarei mudando de direção?
Como direi ao pedestre que ele pode atravessar a via lateral, pois seguirei em frente na via em que estou trafegando?
No trânsito, a comunicação não é diferente. Ela é igual ao seu ambiente de trabalho, casa e escola.
O trânsito é tão social quanto sua empresa, a casa ou a sua escola e precisa de comunicação a todo instante. No trânsito, as coisas precisam ser bem mais claras, pois, se a comunicação falhar, não existir ou for incorreta poderá causar danos materiais e pessoais.


Imagine o CARRO na via pública. É você na via.
Imagine outros CARROS na rua.  É você, seu vizinho, sua mãe, pai, amigo, eu. Somos nós.
Imagine todo elemento que compõe o trânsito:
Pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas. E todos usufruindo do mesmo espaço, dentro de regras sociais e leis.
É uma sociedade.
Agora imagina você dentro dessa sociedade, você é o CARRO azul que irá fazer uma manobra, irá mudar de direção ou faixa, como você procede?
(Bom, a princípio, seria, como se fosse sair da sua sala e ir até a cozinha pegar um café, precisa passar pelo seu filho que está no meio do caminho brincando, e depois chegar na cozinha e pedir licença a sua filha que está entre o armário e o fogão, até que você alcance a garrafa térmica e peça a sua esposa que lhe dê um copo.) Você tem que comunicar, desviar, pedir licença e transitar para alcançar seu objetivo certo? 
Então, sendo você o CARRO azul, e irá mudar de faixa ou direção, tem que saber pedir licença, desviar, transitar, comunicar para realizar a manobra e alcançar seu objetivo.

Ao entrar no carro e dar a partida, automaticamente você entrou numa sala de bate papo, entrou numa conversa, e por obrigação tem que comunicar suas intenções e pensamentos. 
Ao colocar o seu veículo em via pública, você assumiu a responsabilidade social de comunicar todos os seus atos na condução do veículo.


Portanto, terá que obrigatoriamente, usar as luzes indicadoras de direção, (setas) farol, gestos, luz de freios, pisca-alerta. 
Enfim, dizer aos pedestres, ciclistas, motociclistas, motoristas o que você irá fazer, desde o inicio do seu trajeto até a origem.


PENSE NISSO! COMUNIQUE SUAS INTENÇÕES E EVITE ACIDENTES

terça-feira, 23 de agosto de 2011

DIRIJA SEM ÁLCOOL

Depois de tanto recitar em campanhas frases como "SE BEBER NÃO DIRIJA" ou "SE DIRIGIR NÃO BEBA" e nenhum resultado alcançado e sem nenhum efeito produzido. Que tal mudar?


Envie sua frase, sua opinião, construa seu pensamento sobre o trânsito em que você vive.


O importante é: BASTA! 


Não suportamos mais isso que chamam erroneamente de acidente.


Acidentes podem sim ser evitados se seu comportamento for mudado, condicionado a cumprir as normas.


Portanto, "Seja livre na direção. Seja livre pra decidir. Dirija sem álcool." 
(Passe pra frente a campanha; dirigir sem álcool.)


Se a nossa atitude é de mudança e essa mudança começar em nosso comportamento, então o efeito será notório.


Não sejamos negligentes! 


PARE!
PENSE!
MUDE!
Siga a campanha do Ministério das Cidades e DENATRAN.


Trânsito é comportamento!

domingo, 21 de agosto de 2011

SEJA LIVRE PARA DIRIGIR. SEJA LIVRE DO ÁLCOOL



To be or not to be. That's the question. 
Uma das frases mais citadas de Willian Shakespeare (26/04/1564 - 23/04/1616) precisa ser resgatada para uma realidade nada filosófica.
Beber ou não beber, é a questão 
ou 
dirigir ou não dirigir, é a questão 
ou ainda
Beber e dirigir, é a questão 

"Uma questão filosófica para um índice nada irreal."

O trânsito, que é prático e dinâmico não permite erros. 
Acidentes acontecem e quanto a isso não há dúvida, a problemática é  frequência em que eles acontecem.
Ficou tão banal que não poderíamos classifica-lo como acidentes. 

A estimativa  do Ministério da Saúde indica que diariamente 290 mil pessoas dirigem alcoolizadas no país. 
Mais de 50% das colisões e atropelamentos ("acidentes") estão relacionados a ingestão de bebida alcoólica e direção.

Voltando ao nosso tema:
Se eu beber vou dirigir?
se eu dirigir irei beber?
Beber ou não beber?
Dirigir ou não dirigir?
És a questão.

A questão é que as pessoas imaginam que se elas forem a uma festa dirigindo, não poderão se divertir pelo fato de não beber. Isso não é verdade!
Podem se divertir sem beber e podem beber sem dirigir e se divertir.

O termo beber é complicado em nossa sociedade.
As pessoas não estão bebendo estão  embriagando-se, ( o que é totalmente diferente de degustar, saborear ou brindar) tornando-se dependentes do álcool.

O ato de dirigir exige do condutor total atenção e disciplina. Uma máquina está em suas mãos.
Imaginem um cirurgião numa operação, a vida do paciente está em suas mãos.
Imaginem o controlador de voo, a vida de várias aeronaves, transportando varias pessoas estão em suas mãos.
Sempre há alguém que dependem do que fazemos.

No trânsito não é diferente! 
Os pedestre e os ciclistas dependem da boa conduta dos condutores de veículo de duas ou mais rodas.
Os motociclistas dependem da conduta dos motoristas.
Os motoristas de carros de pequeno porte conta com a colaboração e conduta dos de grande porte.
E assim um depende do outro. E todos pela segurança de todos.
Até mesmo os passageiros são de minha responsabilidade quando estou na direção de um veículo.

Esta e a questão, O trânsito  não permite erros. Mas, podemos reduzi-los consideravelmente com uma conduta mais  humana.

Seja livre para dirigir. Seja livre do álcool
  
Dirigir sob influencia de álcool (sem a liberdade de decidir) gera infração.


Tome um decisão e decida por ser livre

sábado, 20 de agosto de 2011

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO 020/2011

      O Detran/ES convocou os Diretores Gerais e/ou de Ensino ou seus representantes legais de Centro de Formação de Condutores - CFCs (autoescola) para uma reunião onde a pauta do dia seria o esclarecimento de alguns Artigos do Manual do Examinador de Trânsito, suas atribuições e pratica operacional diante da suas funções.

     Numa reunião confusa e com muito barulho, blá-blá-blá e falta de respeito de alguns representantes de CFCs, a intenção primária da reunião parace não ter sido alcançada, que era disciplinar e orientar os representantes legais a repassarem aos seus "subalternos" Instrutores e esses aos alunos sobre procedimentos operacionais, regras e normas diante da realização dos exames de direção veicular.  

Por telefone, perguntei a alguns amigos meus sobre o que eles entenderam sobre o que o órgão estaria comunicando a eles. A resposta foi: não entendi muito coisa.
Então, perguntei, o quer vocês entenderam de toda reunião?

"- É, eu entendi que, em algum ponto, temos, que...foi um negócio de, sabe?! Não pode mais usar palavras no carro da autoescola, do tipo, Deus é meu Senhor! E nem telefone de agregado. E, também, tem uma nova placa pra ser usada até dia 1° de setembro, senão não faz mais prova. Ah! eles falaram também sobre o carro não está no nome da autoescola, falaram sobre crachá, que tá sendo feito num pregão." 

Pois é!!! Entendi igualzinho a você. Nada!


Baixar a instrução de serviço 020/2011 aqui

COMPORTAMENTO CORRETO



A sinalização de Trânsito existe para orientar, advertir e disciplinar a circulação dos elementos do Trânsito ao longo das vias. E mais do que isso, ela é uma autoridade na ausência do Agente de Trânsito, segundo a ordem de prevalência. 
Art.89. A sinalização terá a seguinte ordem de prevalência:
I - As ordens do agente de trânsito sobre as demais normas de circulação e outros sinal (sinalização)
II- As Indicações do semáforo sobre os demais sinais; (sinalização)
III - as indicações dos sinais (sinalização) sobre as demais normas de trânsito.


A regra é a seguinte:
Os ordem do agente são imperativas;       (não podem ser contrariadas) 
As ordens semafóricas são imperativas;     (não podem ser contrariadas)
Os sinais (sinalização- placas ou pinturas na via) são imperativas     (não podem ser contrariadas)   
As normas de circulação são educativas.   (Podem ser contrariadas pela educação e respeito)


Diferentemente dos outros sinais de trânsito, as normas de circulação e conduta, em alguma situação, podem ter sua regra violada pela educação e respeito entre os usuários da vias.


Numa norma que diz que a preferencia, numa interseção sem sinalização é de quem vem à direita, poderá ser substituída pela educação, respeito ou camaradagem, abrindo mão dessa preferencia pela boa saúde viária. 


As Normas Gerais de Circulação e Conduta definem o COMPORTAMENTO CORRETO que os usuários deverão adotar ao fazer uso das vias.


Pela boa saúde viária, educação, respeito e bom senso as Normas seriam suficientes para proporcionar um trânsito seguro.


A regra básica das Normas está definido no CAPITULO III Das Normas Gerais de Circulação e Conduta:
ART.26. Os usuários das vias terrestres devem:
I- abster-se de todo ato que possa constituir perigo ou obstáculo para o trânsito de veículos, de pessoas ou de animais, ou ainda causar danos a propriedade pública ou privada; 
II- abster-se de obstruir o trânsito ou torná-lo perigoso, atirando, depositando ou abandonado na via objetos ou substâncias, ou nela criando qualquer outro obstáculo.


Sendo os usuários educados nessas regras simples das Normas, (abster-se) os problemas  relacionados a acidentes por causa de má circulação e conduta, brigas, discussões entre outros problemas de relacionamentos seriam bem menores e a saúde dos usuários seria outra.



Veja aqui outros artigos relacionados a saúde, comportamento e normas no Trânsito






http://migre.me/5wHi8

Saiba sobre as Normas de Circulação e Conduta
http://alexandrebasileis.blogspot.com/p/ngcc.html

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

EDUCAÇÃO E RESPEITO PARA UM TRÂNSITO MELHOR

Quando se pensa que as coisas estão melhorando, as vezes até está, porém, acontecem coisas que...
...Uma boa educação e respeito resolvem.


a falta de educação e a imprudência dos usuários das vias terrestres é impressionante. 
A consequência disso?
Atropelamentos e acidentes graves.


No mês de Junho foi postado neste blog a falta de sinalização horizontal na região da Vila Rubim, em Vitória ES. Especificamente na Av. Duarte Lemos.


Veja aqui a avenida sem sinalização


Depois de alguns dias, a sinalização foi toda restaurada, a via agora mostrava ser o que era de fato; uma via de três faixas, o que não parecia antes da pintura da sinalização. Isso causava, um certo pavor e descontrole nas manobras feitas pelos motoristas e motociclistas e até mesmo para os pedestre.


Veja aqui a mesma avenida com a sinalização restaurada


Porém, surgiu uma outra problemática:
a imprudência e a falta de educação.


Somente neste semana, foram quatro atropelamentos no mesmo local, sendo um gravíssimo.
Em um dos atropelamentos, que foi o mais grave, a vítima ficou com a face deformada e ainda perdeu uma orelha.


O que está acontecendo no local entre a Santa Casa de Misericórdia e o posto de gasolina ouro negro?


o que está acontecendo na Vila Rubim ES.


Acontece que a imprudência dos condutores que trafegam em alta velocidade, numa via onde a velocidade máxima é de 40km/h e o desrespeito e negligência dos  pedestre que atravessam  a via em qualquer lugar, tem criado uma série de acidentes e atropelamentos.


Coisas que não aconteciam com tanta frequencia quando não havia a pintura horizontal. 




A princípio, no Art. 26 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB   diz:


Aos usuários das vias terrestres devem:

I- Abster-se de todo ato que possa constituir perigo ou obstáculo para o trânsito de veículos, de pessoas ou de animais, ou ainda causar danos a propriedade pública ou privada;
II- abster-se de obstruir o trânsito ou torná-lo perigoso, atirando, depositando ou abandonando na via objetos ou substâncias, ou nela criando qualquer outro obstáculo.

Ou seja,


O Pedestre que não atravessa na faixa ou no lugar próprio a ele destinado está constituindo perigo ou obstáculo para o trânsito.


O Condutor que desrespeita a Lei, as regras e normas de circulação, anda em velocidade incompatível com a segurança do local ou avançando sobre pedestres acelerando o veículo está constituindo perigo ou obstáculo para o trânsito.


O Motociclista, que anda em zigue-zague nas ruas, entre veículos, próximo as calçadas, ultrapassando pela direita está constituindo perigo ou obstáculo para o trânsito.


O Passageiro que joga qualquer objeto pelo veículo ou deixa objetos em ponto de ônibus está constituindo perigo ou obstáculo para o trânsito.


Enfim, todos somos usuários e todos temos a responsabilidade de não constituir perigo ou obstáculo para o trânsito.


Respeito é bom e todo mundo gosta!


Educação é base. Comportamento é tudo. Com respeito é melhor ainda.

O CONDUTOR, O VEÍCULO E SUA HABILITAÇÃO

As regras para candidatar-se à Primeira Habilitação ou Mudança de Categoria ou Adição de Categoria estão expressas na Resolução 168/2...