sábado, 16 de abril de 2011

EDUCAÇÃO SOCIAL

Nesta semana  muito se ouviu falar sobre a VIDA URGENTE.
Acabou ou não acabou. 
As incertezas sobre contratos e acordos podem acabar ou não.
 E daí? O que é que tem?
Se é importante, se é válido ou se é necessário a continuação da realização da entidade atuar com um projeto educador. Que façam! Que continuem! Que avancem ao rumo e objetivo proposto pela ONG a sociedade.
Se há paixão juramentadas de seus membros. Se há conforto pelas perdas. Se há educação certa e faz efeito, que continuem sem acordos e contratos.
Agora que seus membros colaboradores, seus seguidores, seus simpatizantes terão que mostrar essa importância do projeto e começar a trabalhar mais, lutar mais, educar mais, pedir mais a ajuda da sociedade, das comunidades, viver uma ONG e viver de doações destas familias, destes membros e continuarem.

Meus sentimentos em relação ao fim de contrato ou acordo é de que coisas maiores e boas virão.

"Meu pai sempre me disse: Filho, quando a situação estiver bem ruim, quando você vê que não tem mais jeito das coisas  piorarem mais. É sinal que vai começar a melhorar. É sinal que Deus te viu e ouviu."

Em relação a trânsito,  toda camada da sociedade tem que estar envolvida na Educação para o (no) Trânsito
Pais, autoescolas, Detran, ONG, Institutos, comunidades, imprensa, Governo, BPM, Instrutores, escolas; enfim, tudo e todos. Pois no trânsito qualquer um poderá ser passível de se envolver em acidentes. Todos somos vítima! 

A educação no trânsito tem que começar dentro de casa, com os pais dando  exemplos a seus filhos de cidadania, moral ético e respeito as Leis de Trânsito e ao próximo e a formação de valores. Partir para as escolas onde será feita a continuação da educação.
Proseguindo para a formação nas de autoescolas e avaliados pelo Detran, se estes serão de fato, bons condutores. 
Ainda, tem a formação dos Instrutores, Diretores de Ensino e Geral pelos institutos, Sempre analisados, avaliados e fiscalizados pelo Detran. 
Todos, de alguma forma, poderá contribuir para um trânsito humano e não automático e fatalista. 

Em questão de beber e dirigir clik  aqui

1º CONGRESSO DE INSTRUTORES DE TRÂNSITO

Durante muito tempo, o Instrutor não teve o seu valor devidamente reconhecido, mesmo sendo ele o responsável, muitas vezes, pelo p...