domingo, 23 de janeiro de 2011

MOBILIDADE URBANA


Muito se fala e opina sobre um trânsito seguro, dinâmico e cordial. (Mobilidade Urbana).
Porém, ao consultar engenheiros, profissionais da área, diretores de institutos entre outros, vemos que a saída é sempre boa, na teoria, e, talvez na prática deva até ser a melhor mesmo.
Mas, a questão é que as saídas são caras, de longo prazo e precisam de estudos e consentimentos do poder público, empresas privadas e até mesmo da sociedade em geral.
São integrações, viadutos, pontes, transporte intermodal, etc.

"Parece que não tem muito a ser feito por essas bandas de cá."

São saídas que realmente podendo ser aplicadas ( penso) que seriam ótimas!
Contanto, isso é pra longo prazo, são anos de estudos e investimentos, conversações, mudanças de governos, verbas ( que é 0 mais importante) entre outras cozitas a mais.

Agora, pensemos no aqui e agora. Vamos olhar o hoje. A solução tem que ser imediata.

Pois então, já que as medidas tem que ser de imediatas, a ação tem que com o que tem e tem que dá resultado.

Por exemplo, Já que o trânsito na capital capixaba está saturado, crie o rodízio de placa, carros estacionados nos centros das grandes cidade, ( Vitória, Vila velha, Guarapari, etc.) Somente para quem é morador ou carros em serviços. Para particular, crie estacionamentos públicos, com taxa mínimas criadas pelos governos que custem somente para a manutenção e proteção do local.

Crie ciclovias, Pois na região metropolitana capixaba, são inúmeras bicicletas que circulam durante o di como meio de transporte para o trabalhador.

E incentivar a criação dos mototaxistas, que poderiam levar um passageiro do centro de vitória a reta da penha em poucos minutos.

Tudo isso com interesse de trabalhar do setor público e da sociedade para o bem coletivo é válido, o custo é pequeno, a saída é pra hoje e todos ficariam feliz e o trânsito voltaria a ser como era antigamente. Época em que se fazia 30 minutos de Santo Antonio a Reta da Penha na altura do DETRAN-ES.

ISSO É MOBILIDADE URBANA PRA JÁ!

QUAL A CONSEQUÊNCIA? PRIMEIRA PARTE

O trânsito não é mais como era antigamente.  Antes, até pouco tempo atrás, poderíamos dirigir e beber, fumar, comer, andar com as...