Pular para o conteúdo principal

CARTEIRA NACIONAL DE HABILITAÇÃO E SUA VALIDADE




Recentemente o CONTRAN publicou Oficio Circular nº 2/2017/CONTRAN aos Senhores Dirigentes dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, Estadual e Municipal com o referido assunto:

"A Utilização da CNH como documento de identificação civil após a sua validade"

Senhor(a) Dirigente,

Encaminhamos o presente para informar aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, Estadual e Municipal, que o Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, em sua 158ª Reunião Ordinária, realizada no dia 21 de Junho de 2017, no uso da atribuição que lhe confere o art. 12, inciso VII, do Código de Trânsito Brasileiro - CTB, entendeu que a Carteira Nacional de Habilitação - CNH pode ser utilizada como documento de identificação em todo o território nacional ainda que em momento posterior à data de validade consignada no referido documento, uma vez que esta refere-se apenas ao prazo de vigência do exame de aptidão física e mental. 

Atenciosamente,

ELMER COELHO VICENZI

Então vem a questão: como fica a situação do recolhimento do documento de habilitação frente algumas infrações de trânsito e as penalidades de Suspensão do Direito de Dirigir e de Cassação da CNH e a infração por dirigir com a CNH vencida a mais de 30 dias?

Vamos discorrer em parte.

A principio, o que ocorreu é que alguns órgãos do puder público não aceitavam a CNH como documento de identificação pessoal quando da sua validade vencida. O que ficou claro na Circular é que, os dados ali existentes não vencem, tais como CPF, ID, foto, dentre outros.

Um exemplo: meu pai certo momento foi viajar e a empresa não aceitou seu documento vencido (CNH) para que ele pudesse fazer o embarque. Meu pai chamou o pessoal da ANTT e então liberaram o embarque dele de Vitória x Rio.

A ANTT já se posicionou em relação ao assunto com base na Res. 4.308/2014:  

A Resolução 4.308/2014 trata da identificação para embarque de passageiros no transporte rodoviário e ferroviário e destaca que os usuários contam com um rol de documentos que podem ser utilizados para viagens interestaduais e internacionais. Entre os documentos que podem ser utilizados por maiores de idade e adolescentes brasileiros em viagens nacionais estão: carteira de identidade (RG), carteira de trabalho, passaporte brasileiro, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com foto, entre outros.

E manteve a circular em prática. Na verdade, já tinha esse posicionamento antes mesmo da Circular, conforme caso concreto do exemplo acima descrito.

E o que acontece em relação aos procedimentos administrativos de recolhimento da CNH?

Bom, em relação ao procedimento administrativo de recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação continua o que está no artigo 269 incisos III e IV:

Art. 269. A autoridade de trânsito ou seus agentes, na esfera das competências estabelecidas neste Código e dentro de sua circunscrição, deverá adotar as seguintes medidas administrativas:
       
I - ...;
        II - ...;
        III - recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação;
        IV - recolhimento da Permissão para Dirigir;

Assim como o passaporte, a CNH é um documento no qual pode ser recolhido no caso da CNH, (passaporte apreendido) por eventuais crimes cometidos pelo cidadão em sua utilização. Tanto é que o passaporte e a CNH ficaram de fora da Identificação Civil Nacional (ICN) sancionada recentemente pelo governo federal. 
E em relação as penalidades?

 Em relação as penalidades contidas nos artigos 261 e 263 continuam sendo aplicados normalmente.

Mas e a infração por dirigir com a CNH vencida a mais de 30 dias? Continua valendo?

Vamos avaliar a questão com base na estrutura das palavras.

Primeiro: a Circular foi dirigida aos Dirigentes dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, Estadual e Municipal, ou seja, não vincula a entidades privadas, por conta de não ser uma lei e sim um documento de uso interno.

Segundo, o que é infração de Trânsito?

Segundo a Lei 9.503/1997 é considerado infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito do CTB, da Legislação complementar ou das resoluções do Contran.

 Art. 161. Constitui infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito deste Código, da legislação complementar ou das resoluções do CONTRAN, sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas indicadas em cada artigo, além das punições previstas no Capítulo XIX.

ou ainda, segundo o anexo I do CTB

INFRAÇÃO - inobservância a qualquer preceito da legislação de trânsito, às normas emanadas do Código de Trânsito, do Conselho Nacional de Trânsito e a regulamentação estabelecida pelo órgão ou entidade executiva do trânsito.

Vejamos que Preceito é = Regra; aquilo que se aconselha fazer ou praticar; Ensinamentos; o que se ensina. 

E que é penalidade?

Penalidade vem de pena = sanção aplicada como punição ou como reparação por uma ação julgada repreensível; castigo, condenação, penitênciaPor assim dizer, penalidades são sanções aplicadas a quem desrespeita as normas, as regras, os preceitos estabelecidos.

Então, segundo o artigo 162, inciso V é infração de trânsito conduzir veículo:

V - com validade da Carteira Nacional de Habilitação vencida há mais de trinta dias:
         Infração - gravíssima;
         Penalidade - multa;
    Medida administrativa - recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação e retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado;

Pois bem, portar a CNH para conduzir veículo e utilizar a CNH para apresentar como documento de identificação são coisas totalmente diferentes.

Primeiro, para conduzir veículo é obrigatório o porte da CNH:

§ 1º É obrigatório o porte da Permissão para Dirigir ou da Carteira Nacional de Habilitação quando o condutor estiver à direção do veículo ( Art. 159 do CTB).

Só pode ser usada no original:

§ 5º A Carteira Nacional de Habilitação e a Permissão para Dirigir somente terão validade para a condução e veículo quando apresentada em original.

A validade da CNH  está condicionada ao prazo de vigência dos exames e não dos dados pessoais ali impressos:

§ 10. A validade da Carteira Nacional de Habilitação está condicionada ao prazo de vigência do exame de aptidão física e mental. 

O Código de Trânsito Brasileiro Já previa a CNH como documento de identidade:

 Art. 159. A Carteira Nacional de Habilitação, expedida em modelo único e de acordo com as especificações do CONTRAN, atendidos os pré-requisitos estabelecidos neste Código, conterá fotografia, identificação e CPF do condutor, terá fé pública e equivalerá a documento de identidade em todo o território nacional.

Só não previa sua validade mesmo vencida, o que foi agora, pela Circular pacificada

Tende em mente que o que se renova não é o "documento" em si e sim os exames que facultam a utilização do documento para dirigir:

§ 2º O exame de aptidão física e mental será preliminar e renovável a cada cinco anos, ou a cada três anos para condutores com mais de sessenta e cinco anos de idade, no local de residência ou domicílio do examinado. (Art. 146 do CTB)

ou seja, o prazo de vigência dos exames são em regra de 5 (cinco anos) até os 65 anos de idade e de 3 (três) anos acima dos 65 anos de idade.
Dirigir é um ato permissivo e que é apurado por meio de exames:

Art. 140. A habilitação para conduzir veículo automotor e elétrico será apurada por meio de exames.

Voltando ao artigo que prevê a punição por dirigir com a CNH vencida a mais de 30 dias, é ou não é infração de trânsito?

Primeiro precisamos analisar a estrutura da frase que cria a tipificação: "Dirigir com a CNH vencida a mais de 30 dias." Segundo a Lei 9.503/1997, a Resolução 168/2004, e agora o Oficio Circular 02/20017/CONTRAN fica bem claro que o que vence não é a CNH e sim os exames (aptidão física e mental).

Sendo os exames que são vencidos, a tipificação fica insubsistente, pois CNH não vence, o que fica claro com a Circular 02/2017/CONTRAN.

A circular diz que: Carteira Nacional de Habilitação - CNH pode ser utilizada como documento de identificação em todo o território nacional ainda que em momento posterior à data de validade consignada no referido documento, uma vez que esta refere-se apenas ao prazo de vigência do exame de aptidão física e mental. 

Se o que está expresso na CNH é a data de vencimento dos exames e não o vencimento do Documento CNH, pois CNH não vence, e, os exames não invalidam (quando vencidos) o uso da mesma como documento de identidade, a tipificação "CNH vencida a mais de 30 dias está incorreta. Não existe tal tipificação no caso concreto. 

Portanto, a tipificação dirigir com a CNH vencida a mais de 30 dias está incorreta. O correto é: dirigir veículo com os EXAMES vencidos a mais de 30 dias. 


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ROTATÓRIAS NO EXAME DE PRIMEIRA HABILITAÇÃO

Como fazer? Devo usar a seta pra direita ou esquerda quando entrar na rotatória? E quando circular por ela, aciono a seta pra esquerda ou não precisa? E quando sair da rotatória, aciono a seta pra que lado?
Essas são algumas de muitas dúvidas que  candidatos à Primeira Habilitação e pra vergonha nossa, digo que até  muitos instrutores e claro, que não ficam de fora, muitos examinadores de trânsito que desconhecem as regras de circulação em rotatórias na hora de avaliação e treinamento.
Procurado por alguns candidatos a examinadores, que foram reprovados nas rotatórias, decidi  postar aqui o assunto - rotatória.
Antes de falar especificamente de rotatórias e como realizar bem o movimento nelas, sem violar as regras, vamos falar das Normas de Circulação no que se referem à mudança lateral de direção do veículo. 
          Art. 35. Antes de iniciar qualquer manobra que implique um deslocamento lateral, o condutor deverá indicar seu propósito de forma clara e com a devida antecedência, por me…

QUESTÕES DA PROVA PARA EXAMINADOR DETRAN/ES

FALAREMOS SOBRE ALGUMAS QUESTÕES DO EXAME DO PROCESSO SELETIVO PARA EXAMINADOR DE TRÂNSITO - DETRAN/ES 2014
(Post sugerido por Candidatos a Examinador de Trânsito - Interno e Externo do Detran/ES)
1 – A suspensão do direito de dirigir ocorrerá quando o condutor atingir: A – vinte pontos no prazo de doze meses. B – vinte pontos sem limite de prazo. C – vinte e um pontos sem limites de prazo. D – vinte e um pontos no prazo de doze meses.
Resposta correta é a “A”.
Análise da resposta: Segundo o Código de Trânsito Brasileiro – CTB  no artigo 261 e parágrafo primeiro diz que “Além dos casos previstos em outros artigos deste Código e excetuados aqueles especificados no art. 263, a suspensão do direito de dirigir será aplicada quando o infrator atingir, no período de 12 (doze) meses, a contagem de 20 (vinte) pontos.” E na resolução 182/05 no artigo terceiro e inciso I diz que: “A penalidade de suspensão do direito de dirigir será imposta nos seguintes casos:  “ sempre que o infrator atingir a contage…

CASSAÇÃO OU SUSPENSÃO DA PPD E CNH

Quando o condutor terá sua CNH suspensa?
A suspensão do direito de dirigir será aplicada em duas hipóteses: a) Quando o condutor atingir a contagem de 20 pontos ou mais em seu prontuário, em um período de 12 meses, é o caso da Suspensão por Pontuação, ou; b) Quando o condutor cometer uma infração gravíssima que estabeleça automaticamente a aplicação da suspensão do direito de dirigir, mesmo que não tenha atingido 20 (vinte) pontos em seu prontuário, ou seja, mesmo que cometa uma única infração de trânsito terá sua CNH suspensa, é o caso da Suspensão Específica.  (Exemplo: Beber e dirigir é Suspensão Específica.) Em ambos os casos o condutor terá o direito de dirigir suspenso por um determinado período e deverá fazer o curso de reciclagem para condutor infrator.
Quando o condutor terá sua CNH cassada?
A cassação da Carteira Nacional de Habilitação será aplicada em três situações: a) quando o condutor, que tiver sido penalizado com suspensão do direito de dirigir, for pego conduzindo qualquer v…